quinta-feira, 30 de Abril de 2009

QUEM ERAM OS MAIAS?



Os Maias eram uma antiga família da Beira, sempre pouco numerosa, sem parentela – e agora reduzida a dois varões, o senhor da casa, Afonso da Maia, um velho já e o seu neto Carlos que estudava medicina em Coimbra. Quando Afonso se retirara definitivamente para Santa Olávia, o rendimento da casa excedia já cinquenta mil cruzados: mas desde então tinham-se acumulado as economias de vinte anos de aldeia. Tinha também havido a herança de um parente, Sebastião da Maia, que desde 1830 vivia, sem mais família, em Nápoles, ocupando-se de numismática. Vilaça, o procurador da família Maia podia sorrir com satisfação quando dizia que a família ainda tinha algum dinheirinho para a manteiga de uma fatia de pão.

Vilaça tinha aconselhado a venda da Tojeira, mas nunca tinha concordado com Afonso quanto à venda da casa de Benfica.

Agora, os Maias, com o Ramalhete inabitável, não possuíam uma casa em Lisboa; e se Afonso naquela idade amava o sossego de Santa Olávia, o seu neto, rapaz de gosto e de luxo que gostava de passar as férias em Paris e em Londres, não queria, depois de formado, ir viver nos penhascos do Douro.

E com efeito, meses antes de Carlos deixar Coimbra, Afonso espantou Vilaça quando lhe anunciou que decidira vir habitar o Ramalhete. O procurador fez um extenso relatório a enumerar os inconvenientes do casarão: o maior problema era o da casa necessitar de muitas obras.
1. Quem são os Maias?
2. Indique o nome dos dois varões da família.
3. Que relação de parentesco existe entre os dois homens?
4. Como classifica a situação financeira da família Maia?
5. Quem lhes deixou uma herança?
6. Qual a profissão de Vilaça?
7. Afonso da Maia seguia sempre os conselhos que o procurador lhe dava? Justifique a resposta.
8. O avô e o neto têm os mesmos gostos? Ilustre a resposta com o texto.
9. Para onde vão os Maias viver quando Carlos acabar o curso de medicina?
10. Afonso da Maia informou que vinha viver para o Ramalhete. Qual foi a reacção de Vilaça?
11. A casa já estava pronta para ser habitada?
12. Como classifica o narrador deste texto?



II

1. Em cada uma das séries dadas, indique o intruso:

1.1. Reduzida, abreviada, atenuada, resumida, relatada
1.2. Misturara, afastara, retirara, apartara, desligara
1.3. Excedia, comia, sobrava, passava, sobejava
1.4. Acumulado, passado, reunido, juntado, armazenado
1.5. Satisfação, contentamento, inconveniente, gosto, agrado

2. Escreva o antónimo de:

2.1. numerosa
2.2. sem
2.3. reduzida
2.4. neto
2.5. definitivamente
2.6. mais
2.7. algum
2.8. venda
2.9. inabitável
2.10. extenso

3. Coloque a preposição adequada:

3.1. Os Maias eram naturais ______ Beira, possuíam um bom rendimento e receberam a herança ______ um parente que vivia ______ Itália.
3.2. Afonso, já velho, ______ o sossego ______ Santa Olávia, mas Carlos gostava mais ______ luxo ______ vida ______ Lisboa.
4. Releia o texto “Quem eram os Maias” e transcreva os aumentativos encontrados.
5. Elabore duas frases usando aumentativos diferentes.

III

Afonso da Maia gosta mais da calma, do sossego e da tranquilidade de Santa Olávia.
Carlos da Maia prefere a vida agitada das grandes capitais, por isso, nas férias vai para Paris, Londres,… e, quando acabar o curso, quer ir viver para Lisboa.

Em não mais de vinte linhas, indique se gosta mais da vida no campo ou na cidade, explicando as razões da sua preferência.

Sem comentários:

 
http://www.dgidc.min-edu.pt/inovbasic/biblioteca/jornais/jornais-ler-fazer.doc